Home / Entretenimento / Cultura / Lazer / Neojiba seleciona 40 jovens músicos para segunda edição do Procec
Foto: Reprodução

Neojiba seleciona 40 jovens músicos para segunda edição do Procec

Quarenta jovens, representantes de 20 projetos musicais, serão atendidos em 2018 pelo Programa de Capacitação em Ensino Musical Coletivo (Procec). Por meio desta iniciativa, o Neojiba oferece formação continuada de dez meses e bolsa de estudos para jovens músicos. O objetivo é que eles possam ter uma atuação mais qualificada nos projetos e filarmônicas que integram a Rede de Projetos Orquestrais da Bahia.
A lista dos aprovados nesta segunda edição do Procec foi divulgada nesta terça-feira (13) e contempla 19 municípios do interior da Bahia. Jovens músicos com competências em violino, viola, violoncelo, contrabaixo acústico, flauta transversal, oboé, clarinete, fagote, trompa, trompete, trombone, tuba, violão, canto coral, flauta doce e iniciação musical puderam se candidatar.
Integrante da Associação Filarmônica Amigos da Música (AFAM), da cidade de Wenceslau Guimarães, Bruno Santos se inscreveu na primeira edição do Procec em 2017. A curiosidade e a vontade de expandir horizontes o levaram a buscar a formação. “Através das orientações e acompanhamentos, aprimorei minhas ações para realização de concertos didáticos no projeto onde atuo. No projeto que inscrevi no Procec, trabalhei teoria e prática musical. Construí e pratiquei o que aprendi com os instrumentos de metais”, conta Bruno. Neste ano, Eduardo Pires dos Santos, também da AFAM, foi selecionado para participar da capacitação.
Em 2018, o Neojiba vai realizar dois encontros presenciais que reunirão os 40 jovens selecionados. A Rede de Projetos Orquestrais da Bahia é responsável pela articulação e relacionamento territorial com esta rede de parceiros. O Procec oferece aulas a distância e cada um dos jovens são acompanhados pelos profissionais que integram o setor pedagógico do Neojiba. A capacitação termina com a apresentação de um produto final pelos jovens, que será submetido a avaliação.
“Nossa proposta é baseada na prática coletiva. Além de ensinar música para uma criança, queremos que ela integre um grupo musical e, a partir dessa experiência, possa aprimorar o seu aprendizado. Queremos também promover o desenvolvimento pessoal da criança”, explica o coordenador da Rede de Projetos Orquestrais da Bahia, Adriano Cenci.
Neojiba 
Criado em 2007, como um dos programas prioritários do Governo do Estado, os Núcleos Estaduais de Orquestras Juvenis e Infantis (Neojiba) tem por objetivo promover na Bahia o desenvolvimento e a integração social, prioritariamente de crianças, adolescentes e jovens em situações de vulnerabilidade, por meio do ensino e da prática musical coletivos.
O Neojiba beneficia cerca de 4,6 mil crianças, adolescentes e jovens em todo o estado da Bahia. É uma ação da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS) e tem o maestro e pianista Ricardo Castro como diretor fundador.
Compartilhe: