Home / Entretenimento / Cultura / Lazer / Música barroca e flautista italiana encerram programação de abril da Osba
Foto: Reprodução

Música barroca e flautista italiana encerram programação de abril da Osba

A Orquestra Sinfônica da Bahia (Osba) encerra sua programação artística de abril com a presença da flautista italiana Livia Lanfranchi como solista em dois concertos que destacam a música barroca, em especial a obra do compositor alemão Johann Sebastian Bach (1685-1750). Acompanhada do traverso, flauta de madeira transversal característica do período Barroco, a artista no projeto ‘Bach Eterno’ nesta sexta-feira (27), com sessões às 18h e às 20h, no Teatro Eva Herz, na Livraria Cultura do Salvador Shopping. Os ingressos, a R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia), já estão à venda no site da Ingresso Rápido.  No sábado (28), às 16h, a música barroca é novamente destaque no concerto ‘Música dos Afetos’, na Igreja de Santo Antônio da Barra, com entrada gratuita.

Com regência do maestro Carlos Prazeres, o projeto ‘Bach Eterno’ busca mostrar como a obra do compositor alemão é capaz de atravessar séculos e gerações de compositores. O repertório parte da ‘Suíte nº 2 em Si menor, BWV 1067’, do próprio Bach, seguindo por obras de Anton Webern, Heitor Villa-Lobos, Arvo Pärt, Paulo Costa Lima, até chegar ao funk ‘Bumbum Tamtam’, sucesso do artista MC Fiotti, que utiliza na sua base melódica a ‘Partita em Lá Menor’ para flauta solo de Bach. Também se apresentam como solistas os músicos e irmãos Lucas Robatto (flauta) e Pedro Robatto (clarinete), ambos integrantes da Osba.

No sábado (28), às 16h, a Osba aproveita ainda a presença da flautista italiana Livia Lanfranchi para um mergulho mais profundo na música barroca. Em caráter mais didático, o concerto apresenta detalhes e curiosidades baseadas na ‘Teoria dos Afetos’, que buscar entender – por meio dos componentes rítmicos, melódicos e poéticos – a representação musical das paixões e dos estados da alma. Se apresentam ainda como solistas os integrantes da Sinfônica Lucas Robatto (traverso), Carlos Prazeres (oboé), regente titular da Osba, além de Thomaz Rodrigues (violoncelo) e Eduardo Torres (cravo). No programa, obras dos compositores Bach e Telemann.

Livia Lanfranchi

Nascida em Roma, Livia Lanfranchi recebeu seu diploma em flauta moderna no Conservatório de Santa Cecília na classe de Angelo Persichilli. Iniciou especialização em traverso e música antiga na ‘Schola Cantorum’ da Basíléia, Suiça. De 1995 a 2001 estudou com Barthold Kuijken no ‘Koninklijk Conservatorium’ da Haia, Holanda. No ano de 2001, terminou o mestrado em flauta barroca e clássica com distinção.

Com ou seu ensemble ‘Il Ritratto dell’ Amore’ e outros conjuntos como ‘Os Musicos de Capella’ se apresentou em concertos na Alemanha, Holanda, Itália, Espanha e Brasil. Gravou diversos CDs com obras de J. S. Bach (Paixões e Cantatas), C. Ph. E. Bach (Magnificat) Em 2009, lançou pelo selo ‘Clássicos’, na Sala São Paulo, o disco ‘Sonatas para flauta de Bach’. Atualmente, é professora do Núcleo de Musica Antiga da Escola de Música do Estado de São Paulo (Emesp).

Compartilhe: