Home / Entretenimento / Cultura / Lazer / Festival de Aquarela começa na sexta-feira no Centro Cultural Solar Ferrão
Foto: Reprodução

Festival de Aquarela começa na sexta-feira no Centro Cultural Solar Ferrão

O ‘2° Festival de Aquarela: Traduzindo Sonhos – 2018’ será aberto às 16h desta sexta-feira (6), na Galeria do Centro Cultural Solar Ferrão (Rua Gregório de Matos, 45 – tel. 71 3116- 6743), no Pelourinho, Centro Histórico de Salvador. Promovido por Luiz Neto Atelier, Associação Brasileira de Aquarela e da Arte Sobre Papel (ABA) e International Watercolor Society – Brazil (IWS), o evento tem como principal objetivo divulgar a arte da aquarela sobre papel e sua importância para as artes plásticas no Brasil e no mundo. “O festival mostra a dimensão e os valores artísticos da aquarela, presentes nos trabalhos de artistas das mais diversas regiões”, explica Luiz Firmino Soares Neto que também é professor da Universidade do Estado da Bahia (Uneb).

O evento conta com apoio da Pró-reitora de Extensão/Uneb e da Diretoria de Museus (Dimus/Ipac), da Secretaria de Cultura do Estado (Secult), esta última que administra o Solar Ferrão. Estão sendo expostas 37 obras de tamanhos variados em molduras de até 50cmX70cm. Participam artistas de Belo Horizonte (MG), Curitiba (PR), São Paulo (SP), Vitória (ES) e Salvador (BA). As obras de arte são originais, realizadas nos últimos dois anos com 99% da técnica de aquarela. A visitação no Ferrão acontece até 30/04, das terças-feiras aos sábados, sempre das 13h às 17h.

Workshop

No sábado (7), das 9h às 12h, será realizado o Workshop de Aquarela, com inscrições gratuitas realizadas pela internet. “É importante destacar que o material para o workshop é de responsabilidade do participante”, destacou Luiz Neto. Dentre os materiais, uma prancha de eucatex ou MDF com tamanho de 30cmX40cm ou similar, um pincel tigre ou keramik nº13 para aquarela, um pedaço de papel para aquarela 300g (arché, heritage, fabriano ou outro) com tamanho de 25cmx35cm, além de fita crepe, lápis HB, borracha branca macia e três bisnagas de tinta aquareláveis.

De acordo com o professor Luiz Neto, a aquarela floresce na segunda metade do século XVIII e na primeira metade do século XIX. “A técnica é utilizada quase sempre como aguadas leves e transparentes, elaboradas com cuidado e disciplina”, relata. Segundo ele, neste festival, participam artistas aquarelistas profissionais com exposições e premiações obtidas em cidades, como Dakar e Budapeste, ou de países como Paquistão, Índia, Itália, Hungria, Chile e Equador. Luiz Neto é arte-educador com doutorado em Psicologia Social, membro da ABA e da IWS-Brazil, curador e coordenador do festival. Participou de exposições em muitas cidades brasileiras e em países como Paquistão, Bulgária, Itália e Suíça, dentre outros.

O Solar Ferrão fica em uma das ruas mais visitadas do Pelourinho, a Gregório de Mattos, onde também está a sede do bloco afro Olodum. O solar é originário do século XVII, instalado no declive entre o Pelourinho e a Baixa dos Sapateiros, e é tombado desde 1938 como Patrimônio Nacional pelo Iphan/MinC. Visitação de terça-feira a sábado, das 13h às 17h. Informações através do telefone (71) 3116-6743.

Compartilhe: