Home / Destaque / Estudantes vivenciam práticas das futuras profissões em feira do empreendedor

Estudantes vivenciam práticas das futuras profissões em feira do empreendedor

Vivenciar o que se estuda em sala de aula. Foi com este objetivo que os estudantes dos cursos técnicos de nível médio, do Centro Estadual de Educação Profissional em Gestão de Negócios e Turismo Luiz Navarro de Brito (Ceep), localizado no bairro da Lapinha, em Salvador, realizaram a I Feira do Aluno Empreendedor, na unidade de ensino.Os alunos dos cursos técnicos em Recursos Humanos, Secretariado Escolar, Logística, Contabilidade, Técnico Imobiliário e em Administração apresentaram nos estandes instalados no Ceep, na terça-feira (28), serviços e produtos relacionados às suas futuras profissões. Os estudantes do curso de Administração, por exemplo, mostraram planos de negócios ao simular a administração de uma pizzaria. Eles entraram em contato com situações envolvendo fornecedores de mercadorias, levantamento de custos e lucros da empresa fictícia.

O grupo de alunos do curso Técnico Imobiliário apresentou serviços como venda e aluguel de imóveis. Os futuros profissionais de Logística ofereceram o serviço de aluguel de roupas online por meio da experimentação de uma loja virtual. A estudante Maria Luiza, do curso técnico Recursos Humanos, ao falar sobre a importância desse tipo de atividade, enfatizou que “a feira foi muito proveitosa em todos os segmentos, pois foram apresentadas temáticas interessantes, como marketing pessoal, postura, imagem, além de informações sobre estágio, elaboração de currículo e orientações referentes à Segurança do Trabalho”.

Segundo a professora de empreendedorismo, Gildete Sodré de Britto, a atividade teve o objetivo de proporcionar a interação entre teoria, práticas e experiências individuais e coletivas para despertar a visão empreendedora dos alunos nos segmentos de produtos e serviços. “Os estudantes vivenciaram situações de trabalho ao oferecerem produtos e serviços em uma atividade participativa voltada para o movimento escolar e social”.

De acordo com a diretora da unidade de ensino, Udnéia Braga, a feira foi criada para desenvolver nos estudantes conceitos como empreededorismo, plano estratégico, marketing, investimento, entre outros. “As práticas também darão suporte aos alunos, que já desenvolvem alguma atividade autônoma, para continuar e fazer crescer o próprio negócio”.

Secom/BA
Compartilhe: