Home / Redação TEC / Empresa de biotecnologia tentará ressuscitar 20 mortos
Foto: Reprodução

Empresa de biotecnologia tentará ressuscitar 20 mortos

Será que é possível dar vida a uma pessoa morta? De certa maneira sim, e é exatamente isso que uma empresa de biotecnologia vem tentando fazer. É um objetivo que cientificamente é considerado extremamente “ousado”, mas eles vêm tentando reviver 20 pessoas clinicamente consideradas mortas.

A Bioquark, uma companhia da Filadélfia, não está tão desacreditada assim e conta com o apoio dos Estados Unidos e da Índia para a realização de seu projeto, o apoio desses países vieram com a aprovação ética das entidades de saúde de cada um deles.

Tecnicamente eles não querem ressuscitar uma pessoa que já está morta, debaixo da terra, em um caixão. Desejam “dar vida” a pessoas que hoje vivem apenas porque estão completamente auxiliadas por aparelhos médicos e são incapazes de sobreviver sem eles.

De acordo com informações vindas do CEO da Bioquark, ninguém nunca fez tal experimento científico e o deles estaria sendo o primeiro. Em caso de resultados satisfatórios e positivos, esse projeto poderá indicar bem mais do que só um simples experimento e sim um outro passo em direção a uma possível reversão da morte.

O executivo contou que para que a Bioquark possa fazer algo tão complexo como este protejo, precisariam fazer uma combinação perfeita entre aparelhos médicos que estimulam o sistema nervoso central e as ferramentas da medicina biológica. Fazendo a junção desses dois fatores e usando em pessoas que sofrem com a falta de consciência longe dos aparelhos.

Eles planejam aplicar células-tronco e estimulação nervosa nas pessoas que sofrem com traumas cerebrais. Claro que tudo baseado nos estudos que fizeram, eles acabaram descobrindo que um fluxo sanguíneo e uma atividade elétrica ainda se encontram lá mesmo depois da morte de uma célula cerebral.

A empresa americana espera a regeneração na medula espinhal das 20 pessoas em que os testes foram realizados. Esperam esses resultados em aproximadamente seis semanas, porém, se olharmos para o projeto com uma visão mais futurista, claramente é algo que visa trazer pessoas de volta a vida em caso de algum trauma muito forte na cabeça.

Compartilhe: