Home / Entretenimento / Cultura / Lazer / Cidadania e territorialização cultural fundamentam o 3º Módulo do Seminário Cultura Viva
Foto: Reprodução

Cidadania e territorialização cultural fundamentam o 3º Módulo do Seminário Cultura Viva

Para defender a Cultura como política de Estado e fortalecer o progresso democrático nas diretrizes da política pública de cultura da Bahia, gestores de Pontos de Cultura, dos Centros de Cultura e da Territorialização estiveram reunidos na última quarta-feira (13), no auditório do Instituto Anísio Teixeira (IAT), em Salvador, para discutir o tema Políticas Culturais: Cidadania, Território e Municípios Culturais, no terceiro módulo do Seminário Cultura Viva. Transmitido online para outras cidades, o evento foi promovido pela Secretaria de Cultura do Estado (Secult), por meio da Superintendência de Desenvolvimento Territorial da Cultura (Sudecult).

Representando a secretária de Cultura Arany Santana, o superintendente de Desenvolvimento Territorial da Cultura, Sandro Magalhães, discutiu sobre as políticas culturais, na perspectiva da Cidadania e dos Territórios Culturais. Também esclareceu um pouco sobre a Cultura da Bahia sob a perspectiva cidadã, no que se refere a acessibilidade e a territorialização da cultura.

Magalhães acredita que somos ameaçados a nível nacional em torno das políticas desenvolvidas no campo da cultura. “Não somos apenas ameaçados pela negação na assinatura de convênios, ou pela descontinuidade de alguns processos, mas ameaçados, principalmente, pela prática da política nacional que afeta diretamente a cultura da diversidade desse país”, criticou o superintendente que teme o desmonte institucional do MinC, e os ataques aos trabalhos com a diversidade cultural no Brasil.

Participou também da mesa de discussões o presidente do Conselho Estadual de Cultura (CEC), Emílio Tapioca, que convidou a todos a participarem das Eleições do Conselho que nomeará os próximos conselheiros estaduais representantes dos territórios de identidade e segmentos culturais. As inscrições estão abertas e vão até o dia 14 de fevereiro de 2018.

Balanço de Ações, prestação de contas, estratégias de repasse de recursos, e outras devolutivas foram alguns dos assuntos discutidos pelas Diretorias que fazem parte da estrutura da Sudecult.

A Diretoria de Cidadania Cultural (DCC) foi representada por Juscelina Nascimento, que falou sobre a Governança da Política Nacional de Cultura Viva (PNCV), e sobre a Gestão da rede de Pontos de Cultura da Bahia. A chamada pública Ocupe Seu Espaço foi o centro da apresentação promovida pela Diretoria de Espaços Culturais (DEC), na ocasião, representada pela gestora Maria Marighella. Por fim, a Diretoria de Territorialização da Cultura (DTC) com Wdileston Souza anunciou o lançamento do Panorama dos Sistemas Municipais de Cultura da Bahia 2017, previsto para próxima quinta-feira, 14. O diretor explanou também sobre o programa Municípios Culturais.

A Sudecult apresentou dados que refletem o avanço dos trabalhos das Diretorias. “Mais de mil atendimentos foram realizados na Central de Atendimento dos pontos de cultura. Executamos mais de oito milhões de reais nesse programa. Fizemos 80 visitas diretas aos pontos de cultura, 279 municípios aderiram ao programa Municípios Culturais, fizemos mais de cem atendimentos diretos e consultorias para que os municípios organizassem os seus Sistemas. Acompanhamos mais de 70 projetos no Edital de Territórios Culturais e Dinamização dos Espaços Culturais, temos mais de 500 propostas aceitas e executadas através do programa Ocupe seu Espaço destinado aos Espaços Culturais. Mais de R$ 4 milhões serão investidos em reformas e melhorias dos Espaços Culturais da Bahia”, pontuou Sandro Magalhães, concluindo que mesmo diante do cenário nacional, a Bahia continua sendo uma trincheira de luta pelas políticas públicas culturais no estado, e nos municípios.

Compartilhe: