Home / Entretenimento / Cultura / Lazer / Casa do Carnaval conta a história da folia na Bahia

Casa do Carnaval conta a história da folia na Bahia

A folia de Momo chegou ao fim, mas a experiência poderá ser vivida o ano todo na Casa do Carnaval, espaço interativo que reúne a memória da festa na Bahia em arquivo material, adereços, esculturas, vídeos e áudios. Inaugurado no último dia 5, o primeiro museu sobre a festa do país estará aberto a visitações a partir desta quinta-feira (15), de terça a domingo, das 11h às 19h.
Localizado entre o Terreiro de Jesus e a Praça da Sé, ao lado do Plano Inclinado Gonçalves, o museu já recebeu 423 visitantes. Além do público baiano e de turistas, já estiveram no local os artistas Daniela Mercury, Xanddy, Márcio Victor, Armandinho, Mariene de Castro, Gerônimo, Vovô do Ilê e Carlinhos Brown.
Na Casa do Carnaval, o visitante tem à disposição uma biblioteca de livros relacionados ao Carnaval, além da Sala das Origens, que exibe 200 bonecos feitos com cerâmica, representando figuras típicas de Momo na cidade, como o cordeiro, os Filhos de Gandhy e alguns dos principais cantores, feitos pela artesã Cibele Sales.
Memória − A Casa do Carnaval ainda possibilita acesso à memória do Carnaval do interior por meio da exposição de fantasias reais dos Cães de Jacobina e dos Caretas de Maragogipe. Roupas e fantasias icônicas de cantores da Axé Music, como Ivete Sangalo, Daniela Mercury e Carlinhos Brown e de blocos afro também podem ser conferidas de perto.
Experiência viva − Nas duas salas de cinema da Casa, no primeiro andar, os visitantes podem viver a experiência da folia, por meio de adereços como mamãe-sacode, fantasia e até instrumentos de percussão. Nelas são exibidos filmes que ensinam como dançar 11 coreografias do Carnaval.
“A Casa do Carnaval é um equipamento que proporciona ao público fazer uma imersão nos aspectos artísticos, culturais, musicais e econômicos da festa. Nas salas de cinema, o visitante tem a oportunidade de reviver a experiência única que o carnaval proporciona. Com a Casa do Carnaval,  esse contato com a festa pode acontecer o ano inteiro”, conta o secretário de cultura e turismo, Cláudio Tinoco.
Acesso − Para ter acesso ao espaço nesse primeiro mês de teste, é preciso realizar agendamento prévio por meio do telefone 71 3324-6760. As visitas agendadas e gratuitas nesse primeiro mês são realizadas nos horários das 11h, 14h30 e 16h30, com a entrada de 80 pessoas por período.
 
Investimento − O equipamento integra os investimentos previstos no eixo Centro Histórico do programa Salvador 360. A edificação foi restaurada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), com recursos provenientes do PAC das Cidades Históricas, e é administrado pela Prefeitura. Todo o equipamento custou R$ 15 milhões.