Home / Notícias / Campanha contra o tráfico de pessoas é lançada na Bahia
Foto: Divulgação

Campanha contra o tráfico de pessoas é lançada na Bahia

Das 355 denúncias de tráfico de pessoas registradas em 2014 no Brasil, 54 ocorreram na Bahia. Para evitar este tipo de crime, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS) lançou, na manhã desta quarta-feira (8), a campanha Coração Azul.
A ação reafirma o compromisso da Bahia com a Organização das Nações Unidas (ONU), idealizadora internacional da iniciativa. O lançamento foi realizado na sede do Ministério Público do Estado, no Centro Administrativo da Bahia (CAB), em Salvador, com a participação de autoridades e personalidades, como o cantor e compositor Tatau e o titular da SJDHDS, Geraldo Reis.
Segundo o secretário, diversas atividades começaram a ser desenvolvidas na Bahia com o intuito de chamar a atenção para o tema. “A secretaria [SJDHDS], juntamente com outras instituições, estará promovendo uma série de eventos, palestras, seminários e filmes, enfim, um longo processo de conscientização durante este mês”.
Como denunciar
Qualquer denúncia contra o tráfico de pessoas pode ser feita, de forma anônima, pelo disque 100 ou pelo 180. Para coibir este tipo de crime, dar suporte e orientar familiares e vítimas foi criado, em 2011, o Núcleo de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas (Netp), da SJDHDS. O Netp dispõe de uma equipe multidisciplinar formada por um bacharel em Direito, assistente social e psicóloga.
O coordenador do núcleo, Admar Fontes Júnior, informa que, entre as ações desenvolvidas pelo Netp, estão palestras em instituições de ensino, seminários e capacitações de agentes de direitos humanos, tanto na capital, quanto no interior. “Também discutimos [o assunto] por meio de rodas de conversas em ONGs, com a população, mostrando a realidade dessa modalidade tão brutal, que é o tráfico de pessoas. Apresentamos ainda a expertise que temos para que as pessoas não caiam neste engodo, que é o tráfico de pessoas”.
Secom/BA
Compartilhe: